Gaudí e o Parque Güell

Antoni Gaudí (1852-1926)  foi um famoso arquiteto catalão e figura de ponta do modernismo mundial. Grande parte da obra de Gaudí absorveu traços de suas grandes paixões: arquitetura, natureza e religião. Ele dedicava atenção aos detalhes de cada uma das suas obras, incorporando nelas uma série de ofícios que dominava: cerâmica, vitral,

Continuar lendo

Os arlequins de Picasso

O arlequim, segundo suas origens italianas na Commedia dell’Arte, criada no século XVI, é um personagem que divertia o público durante os intervalos dos espetáculos. Junto com os personagens de Pierrô e Colombina, formavam um triângulo amoroso: Pierrô ama Colombina, que ama Arlequim, que, por sua vez, também deseja Colombina… Pablo

Continuar lendo

Arquitetura e oração

Mas por que juntar arquitetura com oração? Porque na semana em que se comemora o Dia do Arquiteto, em 15 de dezembro, resolvi homenagear três dos maiores arquitetos que já existiram – Gaudí, Le Corbusier e Niemeyer – com uma oração que poderia ser feita em  uma capela, uma igreja, ou,

Continuar lendo

O sertanejo é, antes de tudo, um forte

Euclides da Cunha escreveu uma das frases ícones da literatura brasileira: “O sertanejo é, antes de tudo, um forte.” A obra literária “Os Sertões“, de Euclides da Cunha, é considerada uma das três grandes epopeias da língua portuguesa, podendo ser comparada à “Ilíada“, assim como “Os Lusíadas” podem ser comparados

Continuar lendo

As mulheres de Picasso

No dia em que é inaugurada a exposição  “Picasso: mão erudita, olho selvagem” no Instituto Tomie Ohtake  em São Paulo, vale fazer um registro sobre as mulheres de Picasso que, com certeza, nortearam sua vida amorosa e, consequentemente, sua arte. Pablo Picasso (1881-1973) tinha 23 anos quando conheceu Fernande Olivier na cidade

Continuar lendo

Modigliani e o amor de Jeanne Hébuterne

Amedeo Clemente Modigliani (1884-1920) foi um artista plástico e escultor italiano que viveu em Paris. Artista principalmente figurativo, tornou-se célebre sobretudo por seus retratos e nus femininos caracterizados por rostos e pescoços alongados, à maneira das máscaras africanas. Jeanne Hébuterne (1898-1920), jovem pintora e que já tinha sido retratada por Tsuguharu

Continuar lendo

Era uma vez uma gruta

Era uma vez uma gruta. Em 1916, foi inaugurada a Av. Niemeyer. Em 1920, o Rio de Janeiro recebeu a visita do Rei Alberto, da Bélgica. Por este motivo, a Niemeyer foi praticamente reinaugurada. Foi alargada, asfaltada e teve suas curvas ampliadas pelo então prefeito, Engenheiro Paulo de Frontin. Durante

Continuar lendo

Tiradentes, nos pincéis de Portinari e nos versos de Cecília

Tiradentes, o alferes e dentista prático Joaquim José da  Silva Xavier, foi  executado na  forca, e em seguida esquartejado, na data macabra de 21 de abril de 1792. Seu crime: sonhar com a liberdade e conspirar pela  independência do Brasil. Tiradentes não só abriu o caminho para a Independência do Brasil.

Continuar lendo

O Café de Portinari

Um dia, Portinari falou: “Vim da terra vermelha e do cafezal.” Na vida de Cândido Portinari (1903-1962), o café se fez presente desde sempre. Em sua obra, o café é um tema recorrente, percorrendo três décadas de pintura, desde os anos 30. O “Lavrador de café“, uma de suas obras mais conhecidas,

Continuar lendo

Pancetti e Cecília Meireles: dois amantes do mar

No Dia Mundial da Água, a gente pensa em mar. Pensando em mar, a lembrança chega em Pancetti e Cecília Meireles. José Pancetti (1902-1958), o maior paisagista moderno do Brasil. Entre as paisagens, marinhas incontestáveis. Cecília Meireles (1901-1964), a voz lírica mais importante da língua portuguesa. Entre os seus poemas,

Continuar lendo