Os crânios de Basquiat

Jean-Michel Basquiat (1960 – 1988) foi um artista americano. Basquiat tinha ascendência porto-riquenha por parte de mãe e haitiana por parte de pai. Desde cedo mostrou uma aptidão para a arte e foi influenciado pela mãe, Matilde, a desenhar, pintar e a participar de atividades relacionadas ao mundo artístico. Aos seis anos, já

Continuar lendo

As asas de Lalique e de Victor Hugo

Resolvi escrever sobre René Jules Lalique (1860-1945), mestre vidreiro e joalheiro francês. Lalique criou jóias, frascos de perfume, copos, taças, candelabros, relógios, entre outros objetos, dentro do estilo modernista, sobretudo Art nouveau e Art déco. Entre centenas de obras deslumbrantes, me deparei com as borboletas e as libélulas, jóias de sublime beleza,

Continuar lendo

Gaudí e o Parque Güell

Antoni Gaudí (1852-1926)  foi um famoso arquiteto catalão e figura de ponta do modernismo mundial. Grande parte da obra de Gaudí absorveu traços de suas grandes paixões: arquitetura, natureza e religião. Ele dedicava atenção aos detalhes de cada uma das suas obras, incorporando nelas uma série de ofícios que dominava: cerâmica, vitral,

Continuar lendo

Vik Muniz: reflexos e versos

Vik Muniz (1961) é artista plástico, brasileiro, nascido em São Paulo e radicado em Nova York. A partir de 1988, começou a desenvolver trabalhos que faziam uso da percepção e representação de imagens a partir de materiais como o açúcar, chocolate, catchup e outros como o gel para cabelo, diamantes e lixo.

Continuar lendo

Fazenda Colubandê: História, Arte,Tragédia e Descaso (Parte I)

A Fazenda Colubandê é uma das fazendas coloniais mais importantes do Brasil. Marco da arquitetura colonial brasileira, a sua história começou no século XVII, quando foi comprada por Duarte Ramires de Leão e ali sua família viveu até o século XVIII, tornando-se a propriedade uma das maiores produtoras de cana-de-açúcar da região.

Continuar lendo

Três mulheres: Edith, Katia e Cecília

Hoje, Dia Internacional da Mulher, resolvi escrever mais de um post. Este é reunindo três mulheres: a escritora Cecília Meireles, a pintora Edith Blin e a sua modelo Katia (eu). “Mulher adormecida”, de Cecília Meireles Moro no ventre da noite: sou a jamais nascida. E a cada instante aguardo vida.

Continuar lendo

Os arlequins de Picasso

O arlequim, segundo suas origens italianas na Commedia dell’Arte, criada no século XVI, é um personagem que divertia o público durante os intervalos dos espetáculos. Junto com os personagens de Pierrô e Colombina, formavam um triângulo amoroso: Pierrô ama Colombina, que ama Arlequim, que, por sua vez, também deseja Colombina… Pablo

Continuar lendo

Chuva e reflexos, pinturas e fotos

Quando a chuva cai na cidade, duas coisas costumam penetrar na alma das pessoas: o som dos pingos tocando os guarda-chuvas abertos e a cor que se espalha dos reflexos dos prédios produzidos no chão. Dois artistas contemporâneos captaram, de forma singular, estes reflexos provocados pela chuva urbana: o pintor

Continuar lendo

Arquitetura e oração

Mas por que juntar arquitetura com oração? Porque na semana em que se comemora o Dia do Arquiteto, em 15 de dezembro, resolvi homenagear três dos maiores arquitetos que já existiram – Gaudí, Le Corbusier e Niemeyer – com uma oração que poderia ser feita em  uma capela, uma igreja, ou,

Continuar lendo

Era uma vez o impressionismo de Renoir

A luz da manhã, o movimento da vida acontecendo, as cores desabrochando, tudo me fez pensar que hoje é dia de falar sobre o Impressionismo. Mais especificamente, sobre o impressionismo de Renoir: “Numa manhã um de nós já não tinha preto, e assim nasceu o Impressionismo“. Pierre-Auguste Renoir (1841-1919) passou

Continuar lendo